Arquivo mensais:outubro 2015

Étoiles

Atapoã Feliz

Quem sempre morou nas grandes cidades muito iluminadas, poluídas, e nunca viajou para o interior, não perde tempo em olhar para cima, mesmo porque não dá para ver nada!

Quando era jovem e morava na roça, lembro-me que contemplava, por horas, aquela imensidão de beleza indescritível: A Abóbada Celeste.

É verdade que não se pode descrever isso com palavras.

A poetisa Anne Caroline, bem observa:

“É estranho olhar as estrelas e
não poder tocá-las…
É triste ver a lua e não poder
expressar o que sentimos…
Usar palavras para expressar
um sentimento é muita ousadia,
sabendo-se que sentimento não
se diz… Se sente.
Sabe-se que não é o coração que
guarda os sentimentos, mas sim a
alma…”

Recentemente, inspirado nas imagens que trago hoje, captadas do Google, fiz “Étoiles”. Surpresa! Podemos descrever por meio da música, o que sentimos quando contemplamos um céu generosamente estrelado.

Registro o crédito do fotógrafo Vítor Fernandes que retratou, numa tomada,  o céu do Parque Estadual do Ibitipoca , localizado no município de Lima Duarte, no estado de Minas Gerais,

Para encerrar, deixo aqui as palavras de Bob Marley:

“Uma das coisas mais belas da vida é olhar para o céu, contemplar uma estrela e imaginar que muito distante existe alguém olhando para o mesmo céu, contemplando a mesma estrela e murmurando baixinho: ‘Que Saudade’.”