Bossa Nova

Atapoã Feliz

Segundo consta, a palavra bossa foi ouvida no mundo artístico pela primeira vez no estribilho do samba “Coisas Nossas” de Noel Rosa:

“O samba, a prontidão
e outras bossas,
são nossas coisas,
são coisas nossas!”

Em um sentido figurado, “bossa” quer dizer aptidão, tendência ou pendor. Já “prontidão” significa qualidade de “pronto” que, por sua vez, na gíria, quer dizer sem dinheiro, duro, etc.

Tanto que o “Poeta da Vila”, a certa altura canta:

“Menina que namora
na esquina e no portão
rapaz casado com dez filhos, sem tostão,
se o pai descobre o truque dá uma coça
coisa nossa, muito nossa.”

Na bossa nova, a diferença reside no fato de que surgiu das reuniões de amigos da classe média no Rio de Janeiro, em apartamentos de Copacabana. Quer dizer: não eram “prontos”, mas davam a impressão de estar sempre desocupados.

Mas não era bem assim. Na verdade, não se tratava apenas de jovens ociosos.

“Cansados da importação pura e simples da música norte-americana – conta José Ramos Tinhorão -, resolveram “montar” um novo tipo de samba, à base de procedimentos da música clássica e do jazz, de vocalizações colhidas na interpretação jazzística de cantores como Ella Fitzgerald e de uma mudança da temática para o campo intelectual mais identificado com os componentes do grupo, ou seja, da poesia erudita (o que explica o sucesso do Poeta Vinícius de Moraes como letrista).” (“Pequena História da Música Popular”, Editora 34, 7ª edição revista, p.265).

Os estudiosos e historiadores são unânimes quando afirmam que o termo bossa nova apareceu pela primeira vez no “Desafinado” (1959) de Antônio Carlos Jobim.

Por volta de 1960, ouvi pelo rádio Juca Chaves, com a sua irreverência, cantando que “mandar parente a jato pro dentista e almoçar com tenista campeão” é ser um presidente bossa nova”.

Bem, deixemos a História a quem tem competência para contá-la.

Eu apenas quero apresentar um vídeo, ilustrado pelo caricaturista Cláudio Teixeira, numa tentativa de homenagear grandes compositores e intérpretes da nossa música, com a composição “Cheguei atrasado na bossa”.

Por uma questão de direção artística, as caricaturas não têm uma sequência cronológica. Além disso, é importante ressaltar que ainda estão faltando outros grandes ícones do estilo que ora tratamos. Por fim, a inserção deste compositor na “Galeria” deve-se ao verso do Poetinha em Cotidiano nº 2: “Também não custa nada imaginar…”

5 ideias sobre “Bossa Nova

  1. click eebest8

    Needed to send you that tiny note to finally thank you very much once again considering the breathtaking tactics you have shown in this article. It as quite generous of you to grant publicly just what a number of us would have supplied as an electronic book to make some dough for themselves, principally since you might well have tried it if you considered necessary. These ideas in addition worked as the good way to understand that some people have a similar fervor just like mine to find out very much more when considering this matter. I believe there are many more pleasant situations ahead for individuals that discover your website.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>